Resenha | O conto da Aia

Subitamente um dia todas as mulheres foram demitidas, perderam suas contas bancárias, seus direitos, sua família, sua liberdade, suas vozes, seus corpos. Lhes restam apenas uma função, procriar. O Estado teocrático agora a toma como posse. És um patrimônio. Você, genotipo xx, é uma Aia. Não tem mais permissão de andar sozinha pelas ruas e agradeça a Deus todos os dias pela dádiva de ser fértil. Este é o cenário de O conto da Aia. Uma literatura distópica que nos faz refletir sobre política, religião, liberdade, direitos civis, machismo e feminismo. . Mayday!